Categorias
Dia a Dia

Vizinhos barulhentos? Conheça os limites dentro do condomínio

Som alto, festas, barulhos de obras, cachorro latindo, televisão no último volume… os vizinhos barulhentos costumam ser um dos principais motivos de discussão entre os condôminos. 

Via de regra, o horário permitido para os ruídos altos nos apartamentos é estipulado por meio da convenção ou do regulamento interno do condomínio, e geralmente vai das 9h às 22h. Porém, muitos moradores não têm conhecimento ou acabam ignorando a determinação. E nesses casos, o que fazer?

Limite de barulho

De acordo com a norma NBR 10152, publicada pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), que fala sobre os níveis de ruído para conforto acústico, o nível de ruído não deve ser maior do que 35 a 45 decibéis nos dormitórios e 40 a 50 decibéis na sala de estar. Hoje já existem diversos aplicativos no celular que podem ser usados para medir a frequência do barulho. Além de irritantes, ruídos muito altos podem ser prejudiciais à saúde.

Como lidar com vizinhos barulhentos

Para resolver o problema de vizinhos barulhentos no condomínio, o primeiro passo é avisar o síndico, que deve buscar uma conversa cordial com os envolvidos, perguntando se há a possibilidade de redução do barulho. Caso o problema continue, o síndico poderá emitir uma notificação por escrito e, se mesmo assim não houver melhoras, poderão ser aplicadas multas aos moradores que estão causando o mal-estar. Em casos extremos, a polícia deve ser acionada para resolver a situação.

Para obras na unidade, entretanto, recomenda-se pedir compreensão aos condôminos, pois, mesmo ocorrendo durante dias e horários permitidos, o barulho acaba sendo inevitável. Antes de iniciar as reformas, avise seus vizinhos!

Também é fundamental que todos conheçam os horários-limite para festas e obras, inclusive durante os finais de semana. Os comunicados podem ser entregues aos moradores, enviados via e-mail, grupos de mensagens ou fixados em áreas comuns do condomínio.

Acesse nosso blog e veja mais dicas de convivência nos condomínios!

Categorias
Profissionais

Síndico recebe salário?

O síndico é responsável por manter a ordem e a organização das questões relacionadas ao condomínio. Devido à responsabilidade inerente ao cargo, a pessoa escolhida para essa função precisa ter uma grande capacidade administrativa, além de um bom relacionamento interpessoal e muito comprometimento. A dúvida que fica é: síndico recebe salário?

A resposta direta para essa pergunta é: depende. Veja algumas situações:

Com a construção de condomínios maiores e, consequentemente, com mais moradores, as exigências para ser síndico aumentaram, bem como a complexidade de suas tarefas. Dessa forma, passou a ser necessária, muitas vezes, dedicação exclusiva à atividade de síndico, algo que antes não era preciso. Nesses casos, ser síndico se torna um trabalho como qualquer outro, e a pessoa deve sim receber um salário.

Porém, segundo a Lei do Condomínio, não há regras que dizem que o síndico deve receber salário e nem obrigatoriedade de remuneração. Por isso, é dever da Convenção do Condomínio estipular as condições de gratificação do cargo, que pode ser um salário mensal ou até mesmo a isenção das taxas condominiais.

Para qualquer um dos casos, lembramos que é obrigatória a aprovação e assinatura de ⅔ dos condôminos para qualquer determinação da Convenção entrar em vigor. Caso nenhum morador tenha interesse na função, é possível a contratação de um síndico profissional, que costuma receber, em média, entre cinco a seis salários mínimos.